Bem-vindos ao site do Focep!


 

Prev Next Page:

Cinco de agosto é o Dia Nacional da Saúde

Notícias 05-08-2022 Lilian Russo

Cinco de agosto é o Dia Nacional da Saúde

Nesta sexta (05) é comemorado “O Dia Nacional da Saúde”, instituído pela Lei 5.352 de 1967 com o objetivo de despertar na população a consciência do valor da saúde. A data também celebra a memória do médico e sanitarista Oswaldo Cruz, nascido em 5 de agosto de 1872. Vários projetos com objet...

Read more

Esqueleto robótico promete baratear uso de tecnologia de reabilitação de ponta

Notícias 03-08-2022 Lilian Russo

Esqueleto robótico promete baratear uso de tecnologia de reabilitação de ponta

Em alguns animais do grupo dos artrópodes, como aranhas, escorpiões e caranguejos, a estrutura responsável por prover sustentação e proteção aos órgãos vitais se localiza não no interior do corpo – como é o caso do nosso esqueleto – mas sim fora dele. São os exoesqueletos. O conceito...

Read more

Sabará Hospital Infantil realiza primeira simulação de cirurgia do mundo no Metaverso

Notícias 02-08-2022 Lilian Russo

Sabará Hospital Infantil realiza primeira simulação de cirurgia do mundo no Metaverso

O Sabará Hospital Infantil acaba de realizar a primeira simulação de cirurgia no Metaverso no mundo. A neurocirurgiã pediátrica do Sabará Hospital Infantil e líder do projeto, Dra. Giselle Coelho, conduziu uma neurocirurgia de biópsia de um tumor cerebral por endoscopia com a mentoria do avatar criado para essa simula&cced...

Read more

Pesquisadores do ICB-USP têm resultados promissores contra o câncer de pâncreas

Notícias 02-08-2022 Lilian Russo

Pesquisadores do ICB-USP têm resultados promissores contra o câncer de pâncreas

* Agência FAPESP –Pesquisadores do Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo (ICB-USP) conseguiram impedir a evolução do câncer de pâncreas em três modelos celulares da doença. O resultado, publicado na revista "Investigational New Drugs" do grupo "Springer Nature", foi obtido com o uso d...

Read more

Consulta Pública - Polineuropatia Amiloidótica Familiar relacionada à Transtirretina (PAF-TTR)

Notícias 28-07-2022 Lilian Russo

Consulta Pública - Polineuropatia Amiloidótica Familiar relacionada à Transtirretina (PAF-TTR)

Está em andamento a consulta pública nº 49, publicada no Diário Oficial no dia 20 de julho de 2022, relativa à proposta de incorporação de Inotersena para o tratamento da polineuropatia amiloidótica familiar relacionada à transtirretina em pacientes adultos em estágio 2 ou pacientes não respondedores a t...

Read more

Artigo: 30 anos do Dia da Mulher Afro-Latino-Americana e Caribenha

mulherafroEste é o ano em que se completam 30 anos desde a criação de uma das ideias mais poderosas dos últimos tempos. Em 25 de julho de 1992, eu tinha 12 anos. Nas ruas de terra do Agreste, bairro periférico de Planaltina (DF), eu nem imaginava que, naquele momento, mulheres negras de 70 países reuniam-se na República Dominicana para dar um passo revolucionário que, muitos anos depois, me arrebataria completamente.
No 1º Encontro de Mulheres Negras da América Latina e do Caribe, realizado em Santo Domingo, nasceu e até hoje se sustenta a ideia de criar um marco internacional de lutas para denunciar a situação de vulnerabilidade e as violências que atingem as mulheres negras, desde a

colonização dos territórios que hoje conhecemos como América Latina e Caribe.

Alguns podem até ter dito que aquilo se tratava apenas de uma linha imaginária, um sonho sem possibilidade de materialização. Como mulheres negras, diante de todas as opressões sofridas, poderiam materializar algo tão grandioso? Justo aquelas historicamente marcadas pelo racismo e pelo sexismo; aquelas que, estando na base da pirâmide, sentem todo o peso da sociedade? Como? Como elas poderiam materializar algo desse tamanho?

Uma sociedade estruturada pelo racismo não quer reconhecer a força e a potência de mulheres negras. Assim como a relevância das nossas contribuições para o planeta. Mulheres negras são capazes de tudo. Mulheres como as que se reuniram em Santo Domingo tinham e têm em sua linha ancestral direta muito mais do que dor. Os seus passos nos trouxeram até aqui e nos levarão além. O evento do 1º Encontro criou um dos marcos imaginativos mais promissores e materializáveis dos últimos tempos. Porque mulheres negras vêm colocando a vida a serviço das pautas ali refletidas.

Eu sempre ouvi que "evento é vento", como metáfora para dizer que eventos não trazem legados e, portanto, são desimportantes, comparados a outras ações. Nunca acreditei nisso e, depois de ter conhecimento do evento de criação do 25 de julho, menos ainda. Mas uma coisa é certa: evento é vento. O vento é o próprio ar em movimento. Ele é sempre fluxo. Movimenta, revolve, transforma. Onde o vento passa, a depender da sua intensidade, nada permanece como antes. E é exatamente de uma mudança nas estruturas que precisamos. O vento voa, livre, por distâncias inimagináveis. Ele propaga o fogo. "É o vento que balança a folha."

O Dia da Mulher Afro-Latino-Americana e Caribenha saiu da República Dominicana como muito mais que uma utopia, um boca a boca, um buchicho. Hora brisa, hora tornado, nunca deixou de ser movimentado pelos movimentos de mulheres negras. Um dever de casa continuado, que segue formando toda a sociedade, não apenas nós negras, por meio de espaços conquistados, como esta coluna no Correio Braziliense. Por isso, um dia é pouco. Julho é, agora, o Julho das Pretas.

O maior festival de mulheres negras da América Latina é um dos legados da ventania que passou pelo 1º encontro, realizado em 2022, que nunca parou. Desde a sua fundação, o projeto contribuiu e foi robustecido por redes de mulheres negras. Reuniu mais de 400 mil pessoas, mais de 20 países e gerou muito tempo de TV, milhares de postagens em redes sociais, capas de jornais e revistas, ilustradas por trajetórias e saberes de mulheres negras.

A edição 2022 é comemorativa de nossos 15 anos. Acontece no Museu Nacional, de 22 a 24 de julho, sob o slogan: "Mulheres negras: todas as alternativas passam por nós". Não que os caminhos para o futuro não devam passar por todas as pessoas. Inclusive, é necessário que passe. Mas as soluções, tecnologias e legados de mulheres negras são indispensáveis para o desenvolvimento da sociedade, em todos os aspectos.

A programação abrange painéis, oficinas, desfiles, feira de gastronomia, espaço geek, lançamentos literários, exposição, desfiles e shows. Estaremos empenhadas em reunir material de memória, registrar e visibilizar partes da história, das lutas e das trajetórias de mulheres negras que construíram o legado dos 30 anos de 25 de julho. Todas as atividades são gratuitas e estão disponíveis para consulta no site: www.afrolatinas.com.br.

Nesta edição especial de 15 anos, 50 mulheres inspiradoras serão homenageadas na galeria Rosas em vida. Nomes como Conceição Evaristo, Sueli Carneiro, Francia Márquez, Epsy Campbell Barr, Grace Jones, Dona Gracinha da Sanfona. São 50 homenageadas que representam as lutas e anseios de milhões de anônimas negras brasileiras, das Américas e do Caribe.

JAQUELINE FERNANDES - Jornalista, gestora cultural, ativista, coordenadora geral do Festival Latinidades
Correio Braziliense

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.