Bem-vindos ao site do Focep!


 

Prev Next Page:

XXI Encontro Nacional de Profissionais em Pesquisa Clínica SBPPC

Notícias 27-10-2020 Lilian Russo

XXI Encontro Nacional de Profissionais em Pesquisa Clínica SBPPC

No primeiro dia o Encontro Nacional de Profissionais em pesquisa Clínica, o consultor da SBPPC, Gonçalo Vecina deu um show em sua palestra. Dra Greyce Lousana, presidente executiva da SBPPC, falou em nome de toda diretoria.Contamos com a presença do Vereador Paulo Frange que sempre nos recebe na Câmara Municipal de São Paulo e do Dr. Teó...

Read more

Ministério da Saúde abre consulta pública sobre diretrizes para esclerose múltipla

Notícias 27-10-2020 Lilian Russo

Ministério da Saúde abre consulta pública sobre diretrizes para esclerose múltipla

O Ministério da Saúde inicia hoje (27/10) a consulta pública que buscará contribuições para a proposta de atualização do Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas da Esclerose Múltipla, conforme publicado no Diário Oficial da União de 26/10. A consulta ficará aberta pelo prazo de ...

Read more

Anvisa registra novo medicamento para tratamento de AME

Notícias 15-10-2020 Lilian Russo

Anvisa registra novo medicamento para tratamento de AME

Pacientes com atrofia muscular espinhal (AME) contam com mais um medicamento para o tratamento da doença. O produto é o EVRYSDI® (risdiplam), registrado junto à Anvisa pela empresa Produtos Roche Químicos e Farmacêuticos S.A. O registro do novo medicamento está na Resolução (RE) 4.079/2020, publicada no Diário Of...

Read more

Tratamento de depressão grave com campos eletromagnéticos será testado na USP

Notícias 13-10-2020 Lilian Russo

Instituto de Psiquiatria (IPq) do Hospital das Clínicas (HC) da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP) será o primeiro centro de pesquisa da América do Sul a testar os efeitos terapêuticos da magnetoconvulsoterapia, nova técnica de tratamento para a depressão grave que já é estudada em instituições de Dallas e N...

Read more

Estudos apontam novas perspectivas para o uso de ultrassom em oncologia

Notícias 13-10-2020 Lilian Russo

Estudos apontam novas perspectivas para o uso de ultrassom em oncologia

Dois estudos realizados na Universidade de São Paulo, em Ribeirão Preto, trazem novos horizontes para o uso de aparelhos de ultrassom. Comuns nos campos da gastroenterologia, cardiologia, obstetrícia e ginecologia, esses equipamentos, que emitem ondas ultrassônicas para diagnóstico em órgãos e tecidos no interior do corpo humano, ...

Read more

Anvisa registra novo medicamento para tratamento de AME Destaque

risdiplamPacientes com atrofia muscular espinhal (AME) contam com mais um medicamento para o tratamento da doença. O produto é o EVRYSDI® (risdiplam), registrado junto à Anvisa pela empresa Produtos Roche Químicos e Farmacêuticos S.A. O registro do novo medicamento está na Resolução (RE) 4.079/2020, publicada no Diário Oficial da União (D.O.U.) de terça-feira (13/10).

O registro do produto foi priorizado conforme as normas da Resolução da Diretoria Colegiada (RDC) 205/2017, que estabelece procedimento especial para o registro de medicamentos destinados ao tratamento de doenças raras, como é o caso da AME.

Desordem genética
De acordo com a Anvisa, as AMEs são um grupo diverso de desordens genéticas que afetam o neurônio motor espinhal, responsável pelo controle do movimento de músculos do corpo humano.

A AME 5q é a forma mais comum entre as doenças caracterizadas pela degeneração dos neurônios motores na medula espinhal e tronco encefálico. Apresenta uma prevalência (ocorrência) de um a dois casos para cada grupo de 100 mil pessoas e incidências (novos casos) de um para cada 6 mil até um a cada 11 mil nascidos vivos, conforme estudos realizados fora do Brasil.

Subtipos
A AME é dividida em subtipos, de I a IV. O subtipo I representa aproximadamente 58% de todas as AMEs, com início de sintomas na idade de 0 a 6 meses, com expectativa de vida de menos de dois anos. A AME tipo II representa 29% do total de casos, tem início dos sintomas perto dos sete até 18 meses e apresenta expectativa de vida entre dois e 18 anos. A AME tipo 3 representa 13% dos casos – os sintomas têm início após os 18 anos e a expectativa de vida é normal, assim como a AME tipo IV.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.