Bem-vindos ao site do Focep!


 

Prev Next Page:

Semana Municipal de Informação e Divulgação da Pesquisa Clínica

Notícias 17-02-2020 Lilian Russo

Semana Municipal de Informação e Divulgação da Pesquisa Clínica

Participe do  Encontro anual e das demais atividades da Semana Municipal de Informação e Divulgação da Pesquisa Clínica SBPPC! Há atividades gratuitas, descontos para grupos, descontos para quem vai participar de mais de uma atividade.(É necessário se inscrever para cada evento do qual você queira participar)

Read more

Novo exame aponta risco de engordar e desenvolver diabetes

Notícias 10-02-2020 Lilian Russo

Novo exame aponta risco de engordar e desenvolver diabetes

Pesquisadores da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) desenvolveram um software que permite identificar, com base na análise de moléculas do plasma sanguíneo, indivíduos com risco aumentado de ganhar peso e desenvolver doenças associadas à obesidade.

Read more

Dia Mundial do Câncer: os principais cânceres no Brasil

Notícias 04-02-2020 Lilian Russo

Dia Mundial do Câncer: os principais cânceres no Brasil

Hoje (04/02) é lembrado o Dia Mundial do Câncer, conforme o calendário da Organização Mundial da Saúde (OMS). De acordo com dados da organização internacional, a doença é a segunda principal causa de morte no mundo, sendo que em torno das 70% das mortes ocorrem em países de baixa e média renda, c...

Read more

Lançado edital sobre registro de medicamentos similares

Notícias 03-02-2020 Lilian Russo

Lançado edital sobre registro de medicamentos similares

A Anvisa publicou, na quinta-feira (30/1), o Edital de Chamamento 2/2020, destinado ao requerimento de informações sobre medicamentos similares com registro no país, mas que ainda não foram adequados às regras da Resolução da Diretoria Colegiada (RDC) 134/2003. A resolução estabelece normas de adequaçã...

Read more

Abertura da “Semana Municipal de Informação e Divulgação da Pesquisa Clínica”

Notícias 21-01-2020 Lilian Russo

Abertura da “Semana Municipal de Informação e Divulgação da Pesquisa Clínica”

Abertura da “Semana Municipal de Informação e Divulgação da Pesquisa Clínica” Data: 16 de março de 2020 Local: Câmara Municipal de São Paulo - Viaduto Jacareí, 100 - Bela Vista Horário: 14h - 18h Para se inscrever clique em inscrições e preencha o formulário. Temas abordad...

Read more

Manipulação genética, aliada a cirurgia, reverte o pré-diabetes

moleculaUma pequena alteração química resultou em grande feito científico: a reversão de pré-diabetes em ratos. Por meio de intervenção genética e um procedimento cirúrgico, cientistas americanos desativaram a enzima dihydroceramide desaturase 1 (DES1) em roedores e, dessa forma, conseguiram reduzir a produção do lipídio ceramida. A diminuição da molécula impediu o aparecimento de sintomas da complicação metabólica em cobaias que haviam sido alimentadas com uma dieta gordurosa. Também eliminou a enfermidade em animais obesos. Os resultados foram apresentados na última edição da revista Science. Não é a primeira vez que o grupo observa como a

redução de ceramidas pode reverter os sinais de diabetes e doenças metabólicas, mas as técnicas usadas em experimentos anteriores causaram efeitos colaterais graves.

Por isso, a abordagem não se mostrou adequada para aplicações terapêuticas. Para fugir desse problema, no estudo atual, os cientistas desenvolveram um bisturi mais eficaz e resolveram testar se uma alteração mais sutil e precisa poderia gerar melhores resultados.

Para diminuir as ceramidas, bloqueou-se a etapa final de sua produção. A equipe usou camundongos geneticamente modificados para permitir que gene codificador da enzima DES1 pudesse ser desligado quando os cientistas quisessem. As cobaias seguiram uma dieta rica em gordura — foram alimentadas com massa de biscoito rica em açúcar, em uma quantidade seis vezes maior que uma dieta normal. Dessa forma, dobraram o peso corporal em três meses. Além de ficarem obesos, os animais apresentaram características de doença metabólica, como resistência à insulina e gordura acumulada no fígado.
Algumas semanas após a alteração de DES1 e a redução de ceramidas, os ratos permaneceram obesos, mas a saúde metabólica melhorou. A gordura foi eliminada do fígado e a resposta à insulina se equiparou à de animais magros e saudáveis. As cobaias permanecerem saudáveis durante dois meses, quando o experimento foi concluído. “O peso delas não mudou, mas a forma como lidaram com os nutrientes, sim. Os ratos eram gordos, mas eram felizes e saudáveis”, explica, em comunicado, Scott Summers, presidente de Nutrição e Fisiologia Integrativa da Universidade de Utah, nos Estados Unidos, e um dos autores do estudo.
Novos desafios
Frederico Abreu, coordenador de Cardiologia do Grupo Santa Lúcia, em Brasília, e membro titular da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), acredita que a pesquisa mostra dados importantes, apesar de ser ainda muito inicial. “Esses dados podem abrir a possibilidade de tratar o diabetes caso o mesmo mecanismo seja observado em humanos. Porém, esse seria um desafio ainda maior, pois não sabemos como essa interferência poderia ser feita na prática. Se é possível fazer isso de uma forma segura”, observa.

Os planos são de, na próxima etapa da pesquisa, desenvolver drogas que inibam a DES1, com o objetivo de gerar novas intervenções terapêuticas. Dessa forma, poderá ser possível eliminar a intervenção cirúrgica, aposta a equipe.

Segundo o médico brasileiro, as alterações observadas nos animais fazem parte de uma cascata de fatores que estão interligados. “Quando você melhora a resistência à insulina, outros pontos melhoram. E isso contribui para reverter as características da doença metabólica e de enfermidades cardiovasculares”, explica.

Abreu ressalta também que novas maneiras do combater o diabetes e problemas cardíacos são extremamente bem-vindas. “A resistência à insulina é um dos problemas mais graves e incidentes na população mundial. Seria muito bom ter estratégias extras que pudessem ser usadas em conjunto com as atuais, como as mudanças de estilo de vida”, ressalta o médico.
Condição de alerta
É considerado um estado de risco aumentado para o aparecimento do diabetes tipo 2. Níveis elevados de glicose (açúcar no sangue), obesidade e forte história étnica ou familiar de diabetes são fatores que enquadram um indivíduo na condição de pré-diabético. É possível reverter o quadro. Mudança no estilo de vida, com alimentação adequada e prática regular de atividades físicas, reduzem o risco em cerca de 40%.

Fonte: Correio Brasiliense
Por Vilhena Soares
(foto: Joe Zhou/Reuters)

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.