Bem-vindos ao site do Focep!


 

Prev Next Page:

Estresse pode afetar vida profissional e pessoal; veja sintomas e como prevenir

Notícias 23-09-2022 Lilian Russo

Estresse pode afetar vida profissional e pessoal; veja sintomas e como prevenir

Dificuldade de comunicação, cansaço excessivo, desgaste mental, desestabilidade – os sintomas estão atrelados ao nível de estresse no trabalho, que pode afetar tanto a vida profissional, quanto pessoal da população. Nesta sexta-feira (23), Dia Nacional do Combate ao Estresse, o alerta para a condição é ...

Read more

Dia do Alzheimer: rede de apoio é fundamental para lidar com a doença

Notícias 21-09-2022 Lilian Russo

Dia do Alzheimer: rede de apoio é fundamental para lidar com a doença

Nesta quarta-feira (21) comemora-se o Dia Mundial da Conscientização da Doença de Alzheimer, que tem crescido no Brasil e no mundo com o envelhecimento da população. Ter uma rede de apoio é fundamental para enfrentar os desafios da doença.

Read more

Hormônio do exercício protege os rins contra danos do diabetes

Notícias 19-09-2022 Lilian Russo

Hormônio do exercício protege os rins contra danos do diabetes

Liberada pelo tecido muscular durante a prática de atividade física, a irisina é a mais recente esperança dos cientistas para proteger os rins de pessoas diabéticas dos danos causados pela progressão da doença. A substância, também conhecida como hormônio do exercício, é considerada pelos cientist...

Read more

Covid-19: portaria altera regras para entrada no país

Notícias 15-09-2022 Lilian Russo

Covid-19: portaria altera regras para entrada no país

Foi publicada na segunda-feira (12/9) a Portaria Interministerial 678/22, que altera as regras para entrada de viajantes no Brasil, devido a pandemia de Covid-19. As novas regras já estão em vigor e devem ser observadas por viajantes e operadores de transporte aéreo, aquaviário e terrestre.

Read more

Projeto garante acessibilidade em hospitais a pessoa com nanismo

Notícias 14-09-2022 Lilian Russo

Projeto garante acessibilidade em hospitais a pessoa com nanismo

O Projeto de Lei 2136/22 garante às pessoas com nanismo acesso adaptado às suas condições físicas em hospitais e postos de saúde. Pelo projeto, caberá ao governo federal regulamentar as regras de acessibilidade para esses casos. Hoje, o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos já disponibiliza ...

Read more

Ministério da Saúde reforça conscientização e combate ao linfoma

linmfomaO linfoma é o câncer que afeta os linfócitos, células responsáveis por proteger o corpo de infecções. Esse tipo de câncer se desenvolve principalmente nos linfonodos, também chamados de gânglios linfáticos. 
Com o objetivo de informar e alertar sobre a importância do diagnóstico precoce desse tipo de câncer, que pode ocorrer em todas as faixas etárias, mas predomina em pessoas acima de 50 anos, o Ministério da Saúde conversou com o chefe da Seção de Hematologia do Instituto Nacional do Câncer (INCA), Dr. Ricardo de Sa Bigni, para esclarecer algumas dúvidas.
Quais são os fatores de risco?
Na maioria dos casos, não é possível identificar fatores de risco ou causais para o desenvolvimento de linfomas. Entretanto,

exposição à radiação e certos tipos de produtos químicos podem trazer um maior risco para as pessoas. O benzeno e alguns pesticidas podem estar implicados. Pessoas expostas no ambiente de trabalho estão em maior risco, o que deve ser monitorado. Protocolos de segurança para mitigar essa exposição devem ser seguidos. Pessoas com sistema imunológico comprometido, como a infecção pelos vírus Epstein-Barr (EBV) ou o HIV também podem ter risco aumentado de desenvolver linfoma.

Quais órgãos são acometidos e quais os sintomas? Como se apresentam?
Em geral, os linfomas mostram predominantemente o acometimento dos gânglios linfáticos (linfonodos), com aumento de volume dessas estruturas, popularmente denominadas de "ínguas" e que fazem parte do sistema de defesa do organismo. Os pacientes podem apresentar aumento desses linfonodos que ocorrem em diversas partes do corpo, como pescoço, axilas, virilha, dentro do abdome e também aumento do baço, além de poder acometer outros órgãos, como ossos, pulmão, fígado e cérebro.

Quais são os principais tipos de linfoma?
Existem mais de 40 subtipos de linfomas. Inicialmente dividimos em dois grupos: os Linfomas de Hodgkin e os Linfomas não-Hodgkin. Quanto ao tipo de célula de origem nos Linfomas de não-Hodgkin, temos os Linfomas B, os T e os não-B e não-T (células NK). Considerando os mais comuns, temos os Linfomas não-Hodgkin difuso de células B, que correspondem a 30%, e os Linfomas Foliculares, com cerca de 22% de todos os casos, seguidos por Linfomas de células do manto, de células da zona marginal, Linfomas de Hodgkin, entre outros.

Como é feito o diagnóstico?
É obrigatório que seja realizada uma biópsia cirúrgica da tumoração, em geral, um linfonodo aumentado, e que o material coletado vá para exame histopatológico a ser analisado por médico anatomopatologista. A definição quanto a exata classificação do linfoma requer que, nesta avaliação histopatológica, esteja incluído o exame imunohistoquímico.

Como é feito o tratamento?
O tratamento é baseado no emprego de quimioterapia, associada ou não à imunoterapia (anticorpo monoclonal), dependendo do tipo específico de linfoma. Para a definição da opção terapêutica mais adequada, também devem ser levadas em consideração as condições físicas do paciente e se apresenta comorbidades, tais como doenças cardiovasculares ou pulmonares que possam comprometer a tolerância clínica ao tratamento oncológico.

Há levantamento de casos no Brasil?
No Brasil, os linfomas são a oitava forma mais comum de câncer, com incidência em torno de 6 pessoas a cada 100 mil habitantes, havendo leve predominância de homens em relação à incidência nas mulheres. O risco de óbito por linfoma é de cerca de 2 para cada 100 mil pessoas (1,95/100.000 para mulheres e 2,47/100.000 para homens).

Existe prevenção para o linfoma?
Não há uma forma própria de prevenção ao desenvolvimento de linfomas, tal como ocorre em outras formas de câncer, tendo como exemplo o câncer de pulmão, em que a cessação do tabagismo pode reduzir significativamente os riscos. Nos linfomas, a melhor forma de atuar é na detecção e diagnóstico precoce, que pode permitir o tratamento ainda em estágios menos avançados da doença, com alguns tipos de linfomas considerados curáveis com as terapias disponíveis.

Por Karol Ribeiro
Ministério da Saúde

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.