Bem-vindos ao site do Focep!


 

Prev Next Page:

Relatório contabiliza 241 milhões de casos de malária no mundo em 2020

Notícias 07-12-2021 Lilian Russo

Relatório contabiliza 241 milhões de casos de malária no mundo em 2020

O Relatório Mundial sobre Malária, da Organização Mundial da Saúde (OMS), revela que foram registrados, no ano passado, 241 milhões de casos da doença e 627 mil mortes. Os números representam cerca de 14 milhões a mais de notificações e 69 mil óbitos, se comparados

Read more

Contribua para o fortalecimento do sistema de cosmetovigilância

Notícias 06-12-2021 Lilian Russo

Contribua para o fortalecimento do sistema de cosmetovigilância

A Anvisa destaca que já está aberto o prazo para envio de contribuições para a Tomada Pública de Subsídios (TPS), que visa auxiliar na tomada de decisão sobre o processo de Análise de Impacto Regulatório (AIR) referente à revisão da Resolução da Diretoria Colegiada (RDC) 332/2005, que reg...

Read more

Portal do Participante de Pesquisa - SBPPC

Notícias 30-11-2021 Lilian Russo

Portal do Participante de Pesquisa - SBPPC

A SBPPC tem um site dedicado ao participante de pesquisa.Vale a pena conhecer e tirar suas dúvidas sobre Pesquisa Clínica e como participar de um ensaio clínico. O que é uma pesquisa clínica?

Read more

Anvisa aprova novo tratamento para HIV

Notícias 30-11-2021 Lilian Russo

Anvisa aprova novo tratamento para HIV

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou um novo medicamento para o tratamento do HIV. Trata-se da combinação de duas substâncias – a lamivudina e o dolutegravir sódico – em um único comprimido.

Read more

2ª Jornada do Sistema CEP/Conep!

Notícias 23-11-2021 Lilian Russo

2ª Jornada do Sistema CEP/Conep!

No dia 02 de dezembro de 2021, às 14h, a Conep promove a 2ª Jornada do Sistema CEP/Conep! Acesse o site Even 3, faça seu cadastro na plataforma, caso ainda não tenha, e realize a inscrição para o evento! Veja como no vídeo https://lnkd.in/eQKzmb-i

Read more

Rastreamento genético do "Plasmodium vivax" pode impulsionar vacina e tratamentos contra malária Destaque

malaria foto3 icbA malária vivax, causada pelo parasito Plasmodium vivax, é a variedade mais comum da doença fora da África, sendo responsável por 80% dos casos no Brasil. Para ela, ainda não existe vacina. Quase dois terços dos casos envolvendo a espécie se concentram em países do Sul da Ásia e parte da África Oriental, mas, apesar disso, ainda há pouca pesquisa sobre a genética do parasito

nessas regiões. Para preencher tal lacuna, um estudo analisou amostras recolhidas de viajantes infectados que retornaram ao Reino Unido vindos dessas áreas endêmicas. Os resultados permitiram rastrear a ancestralidade do parasito e identificar mutações associadas a uma resistência a medicamentos que vem sendo observada.
De acordo com o professor Cláudio Marinho, um dos coordenadores do estudo e chefe do Laboratório de Imunoparasitologia Experimental do Instituto de Ciências Biomédicas (ICB) da USP, entender como a diversificação aconteceu e reconhecer as diferentes variedades dessa espécie de protozoário é fundamental para o desenvolvimento de vacinas e para a adequação do tratamento levando em conta as resistências que têm surgido a essas drogas.

Dados da pesquisa encontraram, por exemplo, indícios de que o P. vivax pode estar prestes a desenvolver resistência à artemisinina, fármaco mais potente contra a doença (normalmente utilizado para tratamento de infecções por P. falciparum), o que implica a necessidade da tomada de providências para evitar que as alternativas de tratamento existentes hoje se tornem ineficazes.

Malária na gestação
A pesquisa foi realizada em parceria com a London School of Hygiene & Tropical Medicine (LSHTM), na Inglaterra. O laboratório de Marinho estuda já há dez anos os efeitos da malária vivax em grávidas no Acre, também uma região endêmica, e colaborou para a pesquisa com amostras de sangue de grávidas infectadas.

Jamille Dombrowski, pós-doutoranda no laboratório, participou diretamente dos ensaios em Londres durante seu estágio de pesquisa no exterior com bolsa da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), no doutorado. Ela explica que o P. vivax é especialmente perigoso devido a sua capacidade de viver em estágios dormentes no fígado, que provocam reincidência da doença e cujo combate exige primaquina, um fármaco que não pode ser usado durante a gestação pelo risco de causar hemólise (destruição de células do sangue) no feto. Tais casos demandam um acompanhamento especial com prescrição de cloroquina semanalmente até o fim da gravidez.

Compreender a diversidade genética do parasito em gestantes também é de extrema importância e um dos objetivos da equipe. Este outro trabalho está em fase de conclusão e também é fruto da colaboração entre a LSHTM e o ICB. Jamille afirma estar otimista com os resultados. “O melhor entendimento sobre a genética do P. vivax nessa população de gestantes é mais uma ferramenta para que possamos combater a doença e, assim, criarmos melhores estratégias para reduzir o impacto tanto na mãe como no bebê.”

Mais informações: e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo., com Jamille Dombrowski, ou e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo., com Cláudio Marinho

Por Sebastião Moura
Arte: Lívia Magalhães/Jornal da USP

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.